O Coletivo Abayomi vai pra África!

Por | 1 de dezembro de 2015 às 22:31 | Um Comentário | Eventos, Pesquisa | Tags: , , , ,

É com muita alegria que recebemos o resultado do edital de intercâmbio do MinC com o projeto aprovado na íntegra “Coletivo Abayomi na África: Ainiké”. Isso significa que iremos em um grupo de oito pessoas (4 percussionistas e 4 dançarinas) para Guiné Conacri estudar percussão e dança ao longo de um mês junto ao grande dançarino e amigo Djanko Camará e sua equipe, que promove todo ano pela África Raíces a viagem de estudos para a Guiné. Lá, nossa estadia será intensa, com aulas diárias de percussão e dança, visita à aldeia de Faranah e vivências com o Ballet Djoliba e outros. Ao retornar para Florianópolis, iremos desenvolver a contrapartida prevista no projeto que contempla oficinas, palestras e apresentações de dança e percussão do oeste africano em escolas públicas e projetos sociais da grande Florianópolis. Também daremos continuidade às atividades regulares do coletivo e ao projeto já em andamento em Florianópolis entitulado Ainiké.

Coletivo Abayomi

“O Edital de Intercâmbio é uma seleção pública promovida pelo Ministério da Cultura (MinC) para apoiar a participação de agentes culturais em atividades realizadas fora de sua localidade de residência, podendo ser em cidades do Brasil ou do exterior. O objetivo deste edital é promover a difusão e o intercâmbio nas diversas áreas e linguagens artístico-culturais, a disseminação dos saberes populares e tradicionais, bem como a capacitação técnica, promovendo a multiplicação cultural para o Brasil.”

Financiamento Coletivo 

Como a ajuda de custo conquistada através do edital do MINC não é suficiente para cobrir todos os custos da viagem, (passagens para África são muito caras e a alta do dólar encareceu bastante o valor do curso que é calculado nesta moeda), resolvemos lançar uma campanha de financiamento coletivo contando com o apoio de todos que se identificam com essa cultura e proposta. Assim, você poderá ajudar na concretização deste projeto em troca de recompensas muito legais que estão previstas para cada tipo de apoio. Confira as possibilidades de apoio:

Agradecimento no site = 10,00

Cartão postal + Agradecimento no site = 20,00

Artesanato Africano + Cartão Postal + Agradecimento no site = 50,00

Kapulana (Tecido Africano) + Cartão Postal + Agradecimento no site = 85,00

Artesanato Africano + Kapulana (Tecido Africano) + Cartão + Agradecimento = 120,00

Oficina de Dança e Percussão Africana + Agradecimento no site = 200,00

Oficina + Artesanato + Tecido + Cartão Postal + Agradecimento no site = 320,00

Apresentação de dança e percussão afro (20 min) a ser realizada pelo grupo + Agradecimento no Site = 800,00

Apresentação de dança e percussão afro (50 min) a ser realizada pelo grupo + Agradecimento no Site = 1.500,00

Djembe Profissional da Guiné + Agradecimento no Site = 2.500,00

Doação em qualquer outro valor 

Para apoiar este projeto é bem simples, basta preencher este formulário, realizar o depósito nas contas disponíveis nele e enviar o comprovante de depósito para o e-mail indicado.  

VIAJE A GUINEA 2015

Saiba mais sobre o Abayomi e o projeto Ainiké

O Coletivo Abayomi existe em Florianópolis desde 2010. É um grupo artístico que tem como foco de pesquisa a dança e musicalidade africana e suas diásporas. Alguns integrantes estão envolvidos há mais de 15 anos com essas manifestações. Na UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, Simone Fortes e Erik Djikstra promovem oficinas abertas à comunidade desde 2009. Duas vezes por semana, dezenas de pessoas se reúnem para dançar e tocar com os tambores africanos. Já faz parte da rotina de muitos esses encontros semanais, onde fica claro o transbordamento da alegria de viver propiciada pela união de todos em torno de uma cultura baseada na coletividade.     

Coletivo Abayomi

Ainiké

Esta vivência marca também uma etapa super importante para concretização de um projeto que está em curso chamado Ainiké. Ainda em etapa de pesquisa, o objetivo final é a montagem de um espetáculo autoral que dialoga com a gestualidade e o contexto cotidiano em que habitam hoje os povos da Guiné: “uma construção poética e autoral que resulta das pesquisas almejadas pelo coletivo em relação à dança, música, tradição, formas de organização e movimento da cultura e povo mandinga, criando, em paralelo, uma relação com as linguagens artísticas afro brasileira e contemporânea.

Assim esta vivência dos integrantes no local que é berço desta tradição que tanto inspira os trabalhos realizados pelo Abayomi, é de grande importância para a continuidade do projeto Ainiké.

Rio Niger

Simone Fortes na aldeia Sangbara, Guiné – janeiro/2013.

Ainiké significa ao mesmo tempo “oi” e “obrigado” na língua Malinké, da África Ocidental. É uma expressão utilizada todos os dias ao nascer do sol na aldeia de Sangbarala, no noroeste de Guiné Conakry. Além das referências às corporeidades dos povos que habitam hoje a Guiné Conakry (oeste africano) pretende-se estabelecer, na linguagem da dança, elos com a cosmologia Yorubá afro brasileira como uma poética de encontro entre o Rio Niger e Oxum, o orixá representado pelos rios e cachoeiras no Brasil.

Ainiké 2015

Projeto “Ainiké” – novembro/2015

Ajude o Abayomi a chegar na África! Obrigada por fazer parte disso!

Um comentário

  1. Flavia vidal (1 ano atrás)

    Ola,fico feliz em saber qua aviajem para Guinea foi um sucesso .Foi feito um pagamento por tranferencia bancaria pelo banco do brasil como um incentivo ao grupo no valor de 85,00 na conta Diogo costa. Como sugerido pelo grupo este valor me ofereceria um Kapulana, tecido africano e gostaria de saber como vai ser feito a entrega do mesmo.Grata pela atençao.
    Flavia Vidal

Comentários

© 2014 Abayomi. Todos os direitos reservados.