Danças de máscara

Por | 8 de setembro de 2014 às 19:37 | Sem Comentários | Pesquisa | Tags: , ,

A máscara é um símbolo de transformação mística. Aquele que veste a máscara se torna o Ser que ela representa. Na África Ocidental, as máscaras representam um importante papel nas festividades de iniciação, aparições públicas de sociedades secretas e demais celebrações.

O Konden é um ritmo da família Dununba, do povo malinkê de Koroussa, Alta Guiné, e também é uma dança de máscara. Segundo Youssouf Koumbassa, bailarino guineano, “toda dança começou com Konden”, com máscara. Este ritmo é tocado e dançado com o intuito de assustar os meninos entre 15 e 20 anos, trazendo-lhes coragem.

Kakilambe

Kakilambe

Outra dança de máscara é o Kakilambe, da etnia Baga (da região de Boke, zona costeira de Guiné) e que durante séculos governou a vida de Bagatai. Este era o senhor das águas, da chuva, do vento e do fogo. A cada sete anos, ele saía da floresta sagrada para fazer declarações importantes sobre o presente e o futuro da aldeia, sendo um grande dia em que a máscara aparece. Ele tem uma corda presa a si para cada família da aldeia, sendo a outra extremidade mantida por um membro de cada família e quando todos vêm para ouvir sua chegada e todas as pessoas se curvam diante dele, a máscara cresce a uma altura de cinco metros. Kakilambe, então, anuncia mais sete anos de fertilidade da terra e das mulheres da aldeia que é acompanhado por cantos e danças de alegria e gratidão. Mas para a terra ser de fato próspera e as mulheres férteis, o homem precisa mostrar sua força, sua virilidade, sua confiança e sua determinação de trabalho com respeito aos costumes de seu povo através da dança e ao som do Sengbe (tambor sagrado). E como ponto de partida para seus feitios, o Kakilambe promete ao seu povo a deusa da fertilidade, a Nimba, e assim ela aparece de surpresa com os seus enormes seios. As mulheres e as meninas que estão para se casar trazem oferendas e homens e mulheres numa comunhão vibrante celebram a certeza de que eles estão sob a proteção dos Deuses. Existem diversas músicas para o Kakilambe e a canção de boas-vindas à máscara Kakilambe é: “Mai’m bo, mai’m bo mama, mai’m bo Kakilambé kekumbe”, que em português significa “água sagrada, está tudo bem, sua saúde se protege com Kakilambe” (segundo Djanko Camara).

Fontes: tontinkan.net, Simone Fortes, Gabriella Souza e www.dansdojon.nu

Comentários

© 2014 Abayomi. Todos os direitos reservados.